PT EN

 

 

QUADRADO AZUL
Exposição de Inês Nunes associada da PIN
Loja Portugal Modernista

Lisboa

(…) Talvez que o azul é que fôsse quadrado mas havia tambem e por toda a parte um só quadrado azul que enchia o quarto todo e sempre com um dos vértices onde Eu fitásse. (NEGREIROS,1917)

A colecção QUADRADO AZUL surge da leitura que fiz do livro K4 O quadrado Azul de Almada Negreiros.
A minha ideia de quadrado, multiplica-se em 24 pins azuis estruturalmente diferentes que se metamorfoseiam ao serem manipulados.
Partem da figura geométrica plana, delimitada por quatro linhas rectas fechadas entre si. São de 4 centímetros e ângulos rectos cuja verticalidade e horizontalidade, estão associadas a estabilidade, permanência e equilíbrio. São neutros, contudo sólidos de madeira feitos à mão.
O utilizador ao usar o quadrado, deverá puxar cuidadosamente a patilha do travão do pin, e fixá-lo ao peito, posicionando-o na melhor posição para o ler e sentir.
Dentro de cada caixa preta, existe um pin que coabita sempre com um poema original do poeta modernista Leonel Ventorim, passo a citar:

Quadrado Azul

Não! Não o quadrado de Malevitch!
Não! Não o azul de Klein!
Sim! Sim! O nosso Quadrado Azul!
Almada Negreiros...Lisboa...1917

                              Leonel Ventorim

 

Inês Nunes para Portugal Modernista...2013
Press realease aqui

{tortags,2638,1}

 

__

O sítio da PIN teve o apoio


 Fundação Calouste Gulbenkian Nacional apoio