PT EN

 

 

Kukas

Kukas · Uma nuvem que desaba em chuva
Curadoria de Cristina Filipe
Quinta  feira, dia 13 de Outubro às 19h00 Sala dos Cofres, MUDE Lisboa

 

Kukas · Uma nuvem que desaba em chuva
Curadoria de Cristina Filipe, Fotografia de C. B. Aragão e de José Manuel
Costa Alves, Design Expositivo de Mariano Piçarra


A exposição KUKAS Uma nuvem que desaba em chuva reúne 171 peças –
maioritariamente jóias, mas também pequenos objectos – desenhadas entre 1960
e 2010. Com uma organização cronológica, há uma incidência nos anos sessenta
e setenta, desvendando as razões que levaram Kukas a protagonizar, em
Portugal, um corte epistemológico com a concepção tradicional da joalharia.
Acresce que a presença de diferentes tipologias – brincos e anéis, colares
ou gargantilhas, pendentes, alfinetes, botões de punho e pulseiras, mas
também caixas, jarras ou floreiras – traduz, em diferentes escalas, a
amplitude e a qualidade do seu trabalho. A exposição propõe também diálogos
entre peças de diferentes épocas e etapas, até à actualidade, sublinhando
afinidades e distâncias e evidenciando as diferentes linguagens adoptadas
por Kukas ao longo do seu percurso. O visitante pode conhecer o modo como
Kukas extrai de cada matéria uma expressividade singular que assume um
pendor quase arqueológico ou sugere uma manualidade brutalista, uma
linguagem orgânica, mais uma menos expressionista, ou uma formatividade mais
geométrica, por vezes de sabor industrial, outras vezes profundamente
abstracta.

KUKAS Uma nuvem que desaba em chuva é a primeira exposição antológica de
Kukas, reunindo trabalhos, realizados durante os últimos cinquenta anos, que
se encontravam dispersos por múltiplas colecções privadas.
Para esta mostra, contámos com a confiança de 70 coleccionadores, para além
da própria Kukas, que cederam gentilmente as peças aqui reunidas e
apresentadas. Trata-se assim de uma oportunidade absolutamente única para
conhecer em profundidade o trabalho desta autora tão singular no panorama
nacional. Alguns coleccionadores surgem retratados no interior da própria
exposição, testemunhando o modo como as peças de Kukas nunca passam
despercebidas. Muito pelo contrário.... Têm uma identidade e presença que
distingue o corpo que as veste. Sempre.

Kukas é uma referência importante da nossa arte e cultura, sendo por isso
fundamental ser conhecida pelo público em geral e pelas novas gerações. Com
esta exposição, o MUDE – Museu do Design e da Moda, Colecção Francisco
Capelo prossegue o seu trabalho de investigação, conservação, divulgação,
internacionalização e musealização do design português, concretizando o
objectivo estratégico de divulgar a obra de ilustres desconhecidos da nossa
cultura e contribuir para a tão necessária historiografia do design em
Portugal.

Anel
Anel, Anos 60, ouro / Colecção Particular / Copy / MUDE/ José Manuel Costa Alves 2011
Tearal
Tearal, 1966, Prata e Dendrite /Colecção Particular / Copy / MUDE/ José Manuel Costa Alves 2011

 

Carteira
Carteira, 1970, Cobre dourado, Prata, Citrinos Quartzos(dendrite) e Pedras da lua / Copy / MUDE/ José Manuel Costa Alves 2011
Pulseira
Pulseira, anos 60, Prata e âmbar / Colecção Particular / Copy / MUDE / José Manuel Costa Alves 2011

 

Colar
Colar, Anos 80, Prata e Pedras da lua / Colecção Particular / Copy / MUDE / José Manuel Costa Alves
Brincos
Brincos, 2010, Prata e Pérolas / Colecção Particular / Copy / MUDE / José Manuel Costa Alves 2011

 

Pregadeira
Pregadeira, 1980, Coral, Prata e Ónix / Colecção Particular / Copy / MUDE/ José Manuel Costa Alves 2011
 

 

   

 

   

 

   

 

   

 

 

info+:
MUDE  Museu do Design e da Moda
R. Augusta 24
1100 Lisboa
tel:218 886 117

__

O sítio da PIN teve o apoio


 Fundação Calouste Gulbenkian Nacional apoio