PINAPARIS

 

 

Ana Caldas / 147;Os seus brincos se agitam nas perfumadas m227;os da brisa/ brincos / Prata / Di226;metro maior 64mm, menor 50mm / 2008
Ana Caldas / “Os seus brincos se agitam nas perfumadas mãos da brisa/ brincos / Prata / Diâmetro maior 64mm, menor 50mm / 2008

Ana Caldas
 
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.


O reconhecimento além-fronteiras da importância das Artes e Ofícios como meio privilegiado da preservação dos valores de identidade cultural de um País, assim como a dignificação do objecto de ornamento corporal artesanal e artístico face ao enquadramento actual industrializado, uniformizado e globalizado, reforça uma maior abertura a novos caminhos e novas exigências.
A «Joalharia» é, assim, uma forma de arte muito personalizada, permeável a outras influências, e à sua capacidade em absorver e recriar símbolos, visões concentradas do mundo, à metáfora e deleite estético.
No meu trabalho “Manufacturas do al-Andalus” –, que apela sobretudo ao Amor, à Beleza e Paz –, tento compreender e reflectir sobre a actual situação no mundo, que é de grande conflito e desentendimento entre os povos: assistimos a um perigoso aumento de conflitos inter-étnicos, intolerância, fanatismo, xenofobia, racismo, etc.
O que representou o al-Andalus nos séculos X – XI – Idade Média – poderia servir de modelo de convivência pacífica entre Cristãos, Judeus, Muçulmanos, nas sociedades contemporâneas; o domínio muçulmano em Portugal fez-se durante mais de cinco séculos, o trânsito de culturas foi enorme, a tradição do Egipto, da Pérsia e de Bizâncio fez ligar o Ocidente e o Oriente.
O meu trabalho de Joalharia está aberto a muitas transformações, visões imaginárias e simbólicas de espaços sagrados, a fenómenos de osmose que provoquem uma sincronia de pensamento e união da herança e identidade de todas as diversidades culturais e espirituais.
Na minha pesquisa e recriação é fundamental a harmonia e o respeito pelo “outro”, abrindo-se, assim, uma porta entre uma realidade sensível e uma realidade transcendente.
Ao recriar elementos inspirados na iconografia ibero-muçulmana, com todas as confluências artísticas e culturais da época, o meu trabalho vai-se apoiar na regeneração de motivos arcaicos passados entre civilizações e culturas, no encantamento de formas arquitectónicas, florais, geométricas, femininas, tentando compreender os elos de ligação entre Ocidente e Oriente, entre o passado e o presente, deixando em cada peça mensagens de Universalidade.


Ana Caldas
Janeiro 2009


Ana Caldas / Madinat al-Zahra / Pendente / Prata, l225;pis lazuli / Di226;metro 35mm / 2008
Ana Caldas / Madinat al-Zahra / Pendente / Prata, lápis lazuli / Diâmetro 35mm / 2008
Ana Caldas / O viajante nocturno guiado pelo clar227;o / Pendente / Prata, olho de tigre / Di226;metro 59mm alt 39mm / 2008
Ana Caldas / O viajante nocturno guiado pelo clarão / Pendente / Prata, olho de tigre / Diâmetro 59mm alt 39mm / 2008
Ana Caldas / O c233;u 233; um jardim cheio de orvalho/ Brincos / Prata / Di226;metro 40mm alt 45 mm / 2007
Ana Caldas / O céu é um jardim cheio de orvalho/ Brincos / Prata / Diâmetro 40mm alt 45 mm / 2007
Ana Caldas / Hom, 193;rvore da vida II/ colar / Prata e sementes da 236;ndia / Di226;metro 47mm alt 60 mm / 2007
Ana Caldas / Hom, Árvore da vida II/ colar / Prata e sementes da ìndia / Diâmetro 47mm alt 60 mm / 2007


Ana Morais Caldas

Nasceu em Luanda, Angola, em 1965.
Desde 2004, vive e trabalha em Braga.

1983/85
Frequenta a Escola de Artes Decorativas Soares dos Reis – Porto

1988
Inicia estudos de Joalharia/Cravação no CINDOR – Centro de Formação de Ourivesaria do Norte, Gondomar.

1989/91
Realiza o Plano de Estudos Básico em Joalharia do AR.CO – Centro de Arte e Comunicação Visual, Lisboa.

Workshop com os Joalheiros Brigitte Moser e Fritz Loosli (Braunwald, Suiça – Agosto, 1990).

Participa no Projecto “Bodyjoia”, projecto pedagógico desenvolvido no âmbito da disciplina “Teoria e Metodologia da expressão plástica” do AR.CO, com o apoio da bolsa jovem criador do Centro Nacional de Cultura, que decorreu no espaço aberto do Fórum Picoas (Lisboa, 1991).

Workshop com Paolo  Marcolongo  - (AR.CO – Centro de Arte e Comunicação Visual, Lisboa, 11 a 15 de Março de 1991).

Recebeu um Prémio da Coca-Cola pelo trabalho de pesquisa e originalidade artística, no âmbito do Projecto “Bodyjoia” (Lisboa, 1991).

1991/92
Frequenta “Contacto Directo/ Escola de Formação de Joalheiros”, Lisboa.

Workshop com o Joalheiro italiano Giampaollo Babetto – Escola “Contacto directo”(Lisboa/92).

Workshop com Jurgen Bock – Escola “Contacto directo” (Lisboa /92).

Estágio profissional com o Joalheiro Jos Peperkamp, integrado no Programa Comunitário “Intercâmbio de Jovens Trabalhadores” (Alkmaar, Holanda, 1992).

1993
Responsável pela exposição/museografia do Prémio de Joalharia Portuguesa/1º Concurso Nacional 1993 da Associação dos Industriais de Ourivesaria e Relojoaria do Norte (Porto/1993.

2003
Seleccionada para o II Prémio de Arte Erótica, com anel em prata, organizado pela ARGO – Associação Artística de Gondomar.

Curso “Tesouros da Prataria Portuguesa, da Idade Média ao Séc. XX”, ministrado pelo Prof. Dr. Gonçalo de Vasconcelos e Sousa na Fundação das Casas de Fronteira e Alorna (Lisboa – 2003)

2005
Aprende com Franklin Pereira a arte dos couros lavrados e dourados.

Participa nos III encontros de Artesanato Ibérico – IBERIONA - (Barcelona – Outubro /2005).

2006
Realiza o Curso “Sinergias: Empreendedorismo Feminino”promovido pela Associação Famílias (Braga, Setembro/2005 a Março/2006), tendo elaborado um projecto de consultadoria e viabilidade económica para a criação de “Oficina de Joalharia artesanal e Contemporânea” no âmbito do curso.

Elaborou desenhos exclusivos e um texto de apoio (colares, brincos e relicários), com o tema “Mediterrâneo antigo” para Lucente/Jóias (Braga – Julho 2006).

 Participa nas VII Jornadas de Cultura Islâmica, Culturas por la Paz, em Almonaster la Real (Huelva-Andaluzia), Outubro 2006.

Participa no Projecto inter-activo PIN (Associação de Joalharia Contemporânea) – AGC (Associazione Gioiello Contemporânea) ”A cada cultura a sua jóia”, integrado no evento “4 pontos de contacto entre Lisboa e Roma”.
Catálogo editado em DVD, com imagens dos trabalhos efectuados e exposição dos mesmos na Galeria Teresa Seabra (Lisboa - 27 de Outubro a 19 de Novembro 2006).

2007
Abriu o seu atelier e exerce a actividade de Joalharia de Autor.

 “ Matéria, Forma e Sentimento”-Exposição individual de Joalharia e outros objectos artísticos em couro lavrado e dourado, inspirados na herança ibero-muçulmana - Livraria 100ª Página (Braga – Janeiro 2007).

Participa no seminário “Tecnologia arcaica do bronze e do ouro”, realizado no Centro de Estudos Arqueológicos da Universidade de Coimbra (20 – 22 Abril 2007) pela arqueóloga Barbara Armbruster.

“Manufacturas do al-Andalus” – Recriações de inspiração ibero-muçulmana – Exposição de Joalharia e Couros lavrados e dourados – Livraria Lello, (Porto – Maio a Junho 2007).

Participa no seminário “Terra do Ouro” (Póvoa de Lanhoso, 24-26 Maio 2007).

Participa na intervenção colectiva “On The Other Hand/Sombra-Clara” realizada no âmbito da “Noite europeia dos museus” – Museu dos Biscainhos, (Braga - 19 de Maio a 19 de Junho).

Seleccionada pela Delegação regional do Norte para o Prémio Nacional de Artesanato dedicado ao tema “O Brinquedo” na modalidade de Artesanato Moderno – (I.E.F.P., Braga - Junho).

Participa na XX Feira Internacional de Artesanato (FIL, 23 Junho -1 Julho 2007), tendo recebido uma Menção Honrosa com o colar “Árvore da Vida”, em prata e olho-de-tigre.

“Manufacturas do al-Andalus” – Exposição individual de Joalharia e couros lavrados e dourados - Centro Cultural Mestre José Rodrigues (Alfândega da Fé - 21 de Julho a 30 de Setembro).

2008
Frequentou o Workshop - Introdução à aplicação de esmaltes sobre metais com Sofia Serrano.
(AR.CO – Centro de Arte e Comunicação Visual, Lisboa de 14 a 24 de Janeiro de 2008).

Reconhecimento e atribuição de Carta de Artesão e Carta de Unidade Produtiva Artesanal por decisão do Conselho Directivo do I.E.F.P., I.P. (18 de Março de 2008).

Seleccionada para participar na Exposição “Jóia, s.f.” no âmbito do Congresso Feminista 2008, que decorreu na Fundação Calouste Gulbenkian, com o Alfinete “Onírico feminino”, em prata, coral, concha do mar e pérolas.
Esta exposição teve lugar no Atelier PLUM em Lisboa, de 23 de Junho a 28 de Junho.

Participa na XXI Feira Internacional de Artesanato (FIL, 5 de Julho a 13 de Julho 2008).

Bolseira da Fundação Oriente, tendo estudado, entre 25 de Julho e 4 de Outubro de 2008, as técnicas oficinais locais e produção ornamental da Joalharia da Índia. O local de estudo foi na cidade de Poona, tendo visitado Miraj e Kolhapur no estado de Maharastra. Não foram só as técnicas tradicionais, as formas de construção e a arte de trabalhar diversas matérias que me interessaram; foi sobretudo questionar a Joalharia, compreender os elos de ligação cultural entre Ocidente e Oriente, ter acesso a outra experiência humana da ornamentação, contribuir para a compreensão do “Outro”, relacionar os valores simbólicos e espirituais deste e do nosso património cultural, ampliando e comunicando a expressão pessoal da Universalidade do corpo ornamentado.
A Índia, com o seu mosaico e fusão étnica, em particular a presença do Islão e o Hinduísmo, ofereceu pontes de contacto com o legado muçulmano na Península Ibérica, legado este que me tem servido de inspiração.

1

TPL_BEEZ5_ADDITIONAL_INFORMATION

1

Found Lost Found

23. JOALHARIA CONTEMPORÂNEA NA IBERO-AMÉRICA